Desemprego entre as mulheres na Grande SP atinge o maior número dos últimos 14 anos, diz pesquisa

Desemprego entre as mulheres na Grande SP atinge o maior número dos últimos 14 anos, diz pesquisa

Postado por: Minha Região ABC

A PED (Pesquisa de Emprego e Desemprego), feita em parceria entre o Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos) e a Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados,) mostra que o desemprego entre as mulheres da Grande São Paulo, incluindo as cidades do ABC, passou de 18,3%, em 2016, para 19,7%, em 2017. Segundo o estudo, essa é a maior taxa desde 2005, quando a Região Metropolitana de São Paulo atingiu o mesmo patamar – ou seja, é a maior dos últimos 12 anos.

Se forem considerados os números absolutos, ao todo, 1.033 mulheres terminaram o ano passado desempregadas na Grande São Paulo. Neste caso, o número é o maior desde 2003, primeiro ano do governo do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT), quando 1.037 mulheres estavam sem emprego na região, mas a População Economicamente Ativa era menor – ou seja, a maior dos últimos 14 anos.

Segundo a pesquisa, a presença das mulheres no mercado de trabalho intensificou-se ao longo do tempo, mas, no período mais recente, de crise econômica, houve pouca alteração. Em 2017 houve, efetivamente, mais fechamentos do que criação de postos de trabalho entre o público feminino. O nível ocupacional das mulheres, que vinha crescendo continuamente até 2012, diminuiu nos últimos três anos, aponta o estudo.

“Entre 2016 e 2017, a redução de 1,1% do nível de ocupação feminino ocorreu na indústria, construção, comércio e serviços – mais especificamente no de transporte. Segundo posição na ocupação, reduziram-se os contingentes de empregadas domésticas mensalistas ou diaristas e das assalariadas com carteira de trabalho assinada”, diz o levantamento.

ABC perde dados regionais

Por meio de uma parceria com o Consórcio Intermunicipal do ABC, a PED disponibilizava dados das sete cidades da região sobre a participação das mulheres no mercado de trabalho até 2016. No entanto, com a mudança no comando da entidade regional, que a partir de 2017 passou a ser liderada pelo prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), o colegiado das prefeituras cortou o convênio com os institutos que fazem o levantamento e deixou de divulgar as informações sobre a região.

Quando assumiu o posto de chefe do Consórcio, Morando justificou o fim da PED com a alegação de que “eram dados que outros órgãos já forneciam”.

Texto: Redação
Foto: Marcello Casal/Arquivo/Agência Brasil

0 0 116 07 março, 2018 Minha Região, Minha Região Destaque, Regional março 7, 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *