Governo de SP diz que vai estudar outros modelos para Metrô do ABC

Governo de SP diz que vai estudar outros modelos para Metrô do ABC

Postado por: Minha Região ABC

Pela primeira vez, o governo estadual admite a possibilidade de realizar estudos para mudar o sistema previsto para operar a linha 18-Bronze do Metrô, que deve ligar a capital ao ABC, passando por São Caetano, Santo André e São Bernardo. O projeto original prevê a utilização de monotrilho no trecho, que é uma espécie de trens elevados transportados por pneus.

O secretário estadual dos Transporte Metropolitanos, Alexandre Baldy, disse ontem ao portal “Diário do Transporte” que o DUP (Decreto de Utilidade Pública) para utilização das áreas onde seriam construídos o traçado e as estações venceu. Diante disso, o governo tenta buscar alternativas para manter o projeto viável.

“Por conta da caducidade do decreto de desapropriação, não podemos iniciar o projeto até o final de 2019. Então, é um desafio que temos. Por isso, o governador João Doria (PSDB) nos determinou que buscássemos alternativas afim de que possamos atender a população do ABC. A linha 18 é fundamental, se permanecer no projeto como estava, aguardando a possibilidade da retomada com um novo DUP, ou (tendo que) buscar outras opções, como BRT (Transporte Rápido por Ônibus, em português) ou outro modelo”, disse Baldy.

Em agosto de 2014, foi assinada a PPP (Parceria Público-Privada) entre o estado e o consórcio Vem ABC, vencedor da licitação para construção e operação. A previsão inicial era começar as obras no mesmo ano e finalizá-las em quatro, mas elas sequer foram inicadas. O entrave está na obtenção de recurso para as desapropriações ao longo do trecho, estimado em torno de R$ 500 milhões.

Até o fim de 2017, o governo estadual tinha nota baixa de capacidade financeira, o que impedia a contratação de empréstimo internacional. Mesmo com melhor avaliação de crédito, o processo não avançou por todo o ano passado.

O consórcio Vem ABC   confirmou que o DUP caducou em novembro do ano passado, mas diz que nele só estava inserida parte das áreas necessárias à implantação da linha. Segundo o grupo de empresas, os lotes não inseridos no decreto (vias públicas, margens do Ribeirão dos Meninos, terrenos municipais e áreas particulares objeto de decreto adicional) perfazem  91% do trecho de vias e 69% das estações. “A emissão do novo decreto não impactará a construção”, alega o Vem ABC.

O consórcio disse que “não tem conhecimento de qualquer movimentação do governo no sentido de abrir a possibilidade de mudar o modal da linha 18-Bronze”, mesmo porque a contrato da concessão “é bastante claro quanto ao seu objeto”.

Texto: Redação
Foto: Divulgação

0 0 553 04 fevereiro, 2019 Minha Região, Minha Região Destaque, Regional fevereiro 4, 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *