Todos os postos de saúde do ABC darão vacina contra a febre amarela

Todos os postos de saúde do ABC darão vacina contra a febre amarela

Postado por: Minha Região ABC

A partir do dia 25 de janeiro até o dia 17 de fevereiro, todas as unidades básicas de saúde do ABC estarão participando da campanha estadual de vacinação contra a febre amarela e terão disponíveis doses fracionadas da vacina. A informação foi confirmada ontem pelo Consórcio Intermunicipal.

Até agora, só São Caetano oferecia vacinas diárias, mas em apenas um posto de saúde. Nas demais cidades, a imunização é feita em somente algumas unidades e em dias variados. Atualmente também é priorizado aqueles que vão viajar para áreas de risco.

A campanha será realizada com dose fracionada da vacina, conforme diretriz do Ministério da Saúde. O frasco convencionalmente utilizado na rede pública poderá ser subdividido em até cinco partes, sendo aplicado assim 0,1 mL da vacina por pessoa. “Estudos evidenciam que a vacina fracionada tem eficácia comprovada de pelo menos oito anos. Estudos em andamento continuarão a avaliar a proteção posterior a esse período. As carteiras de vacinação terão um selo especial para informar que a dose aplicada foi a fracionada”, diz nota do governo estadual.

Haverá ‘Dias D’ nos sábados 3 e 17 de fevereiro. Em ambas as datas, os postos de saúde dos municípios envolvidos estarão abertos em regime especial para atender a população. São Bernardo promete fazer mutirões da vacina também nos dias 4 e 24 de fevereiro e Santo André, no dia 27 de janeiro.

A diretora técnica da Divisão de Imunização da Secretaria de Saúde do Estado, Helena Sato, explicou que o ABC não é uma área de risco. “Estamos tomando ações preventivas para toda esta região. Não é necessário criar pânico, queremos apenas proteger as pessoas e conscientizá-las sobre os perigos da doença”, afirmou.

O Estado também vai ofertar cerca de 2 milhões de doses padrão para 54 cidades, que serão disponibilizadas para crianças com idade entre nove meses e dois anos incompletos, pessoas que viajarão para países com exigência da vacina, grávidas residentes em áreas de risco e portadores de doenças crônicas – como diabéticos, cardiopatas e renais crônicos, por exemplo.

Deverão consultar o médico sobre a necessidade da vacina os portadores de HIV positivo, pacientes com tratamento quimioterápico concluído, transplantados, hemofílicos ou pessoas com doenças do sangue e de doença falciforme.

Não há indicação de imunização para grávidas que morem em locais sem recomendação para vacina, mulheres amamentando crianças com até 6 meses e imunodeprimidos, como pacientes em tratamento quimioterápico, radioterápico ou com corticoides em doses elevadas (como por exemplo Lúpus e Artrite Reumatoide). Em caso de dúvida, é fundamental consultar o médico.

Texto: Redação
Foto: Cadu Proieti

0 0 1451 19 janeiro, 2018 Minha Região, Regional janeiro 19, 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *